Linguagem Corporal

A Linguagem Corporal é uma forma de comunicação não verbal. Abrangem principalmente gestos, postura, expressões faciais, movimento dos olhos e proximidade entre locutor e interlocutor.

Contribui para o estudo da Linguagem Corporal a Cinesiologia, ciência que analisa o movimento do corpo humano, a Paralinguagem, a PNL – Programação Neuro-Linguística, a Neurociência, a Psicologia, a Proxêmica e a Oratória.

A linguagem corporal foi uma das primeiras formas de comunicação humana e continua sendo uma das mais fortes e expressivas. A Linguagem corporal vem sendo utilizada a milhões de anos e está relacionada principalmente ao sistema límbico (mesencéfalo), a segunda estrutura mais primitiva do nosso cérebro.

O surgimento da linguagem verbal há mais de 40.000 anos e da escrita, há 4.000 anos só foram possíveis com o desenvolvimento de uma complexa estrutura cerebral denominada de neocórtex.

Como seres humanos, podemos escolher palavras, criar imagens, fazer abstrações e mentir utilizando, sobretudo o neocórtex, porém o sistema límbico, responsável pelos sentimentos, envia impulsos elétricos ao corpo, gerando expressões e movimentos, muitas vezes sem nos darmos conta deles.

A linguagem corporal pode se manifestar estimulada também pela parte mais antiga e primitiva do cérebro, o sistema reptiliano. Essa estrutura, localizada no talo cerebral, controla as funções corporais e regula nossas necessidades de sobrevivência: batimento cardíaco, respiração, digestão e reprodução.

Albert Mehrabian, pioneiro em pesquisas sobre linguagem corporal, estudos de 1950 mostram que:

7% – Verbal (somente palavras)

38% – Vocal (incluindo tom de voz, velocidade, ritmo, volume e entonação)

55% – Não verbal (incluindo gestos, expressões faciais, postura e demais informações expressas sem palavras).

 

Culturalmente um povo pode adotar gestos característicos que os identifiquem. Assim como ocorre de existirem significados diferentes para um mesmo gesto em diferentes culturas.

Outra grande contribuição ao desenvolvimento dos estudos sobre linguagem corporal foi dada pelo psicólogo Paul Ekman. Partindo do pressuposto que Charles Darwin havia se enganado ao afirmar que os mamíferos já nascem sabendo interpretar e demonstrar um grupo de expressões faciais. Foi comprovando o pressuposto de Darwin e identificou 7 expressões inatas: raiva, alegria, tristeza, surpresa, medo, aversão e arrogância (considerada por alguns autores apenas como uma variação da expressão de aversão). Estas expressões estão presentes em todas as culturas e em todas as épocas da história, registradas em estátuas e pinturas.

Os gestos e as expressões faciais falam muito mais do que as palavras.

 

Maria Eduarda Campagna e Rodrigo Banqueri

 

FacebookMore...

admin janeiro 11, 2013 Matérias